25-05: Resultado do GP São Paulo de Turfe

Gober IIAs linhas: Principal páreo do Turfe paulista e um dos maiores do esporte na América do Sul, o Grande Prêmio São Paulo 2013 (Grupo I – R$ 120.000,00 + valor “added”, de R$ 100.000,00, ao proprietário do animal vencedor) – para animais de 3 anos e mais idade –, aconteceu domingo, dia 19, no percurso de 2.400 metros, em pista de grama leve, do Hipódromo de Cidade Jardim. A vitória ficou com o excelente potro Gober (Macho, Castanho, 3 anos, de São Paulo – Yagli e Visa Max por Kenético), de criação e propriedade do Stud Red Rafa. Contando com direção exemplar de N.A.Santos, o neto de Kenético ocupou a terceira posição desde a largada, aguardando a reta de chegada para evoluir. Quando os competidores atingiram a seta dos 300 metros finais, Gober ganhou terreno pelo centro da pista para dominar a competição, superando seus qualificados oponentes por pouco mais de 1 corpo de vantagem. Poker Face (4.Wild Event) cruzou o disco na segunda posição, mas acabou desclassificado para o terceiro lugar por ter causado prejuízos ao não menos talentoso Energia Eros (3.Point Given), que, com isso, garantiu o vice-campeonato. Responsável por pontear boa parte da carreira, Ibrahimovic (4.Sulamani) chegou em quarto, com Mojito (3.Dubai Dust) na quinta colocação. (Fonte: Portal Turfeonline)

As entrelinhas: Em nosso artigo de 27 de abril, aqui no Linhas & Entrelinhas, ao anunciar o GP São Paulo e dar o resultado da prova preparatória G.P. Oswaldo Aranha, vencido pelo potro Gober, dissemos que o turfe, além de propiciar agradáveis momentos de lazer, era um jogo onde vários fatores dão indicações de resultados possíveis. Pois bem, Gober não foi eleito favorito do público (era a sexta força do páreo) mas venceu com um rateio de R$ 8,20, ou seja, para cada Real jogado o apostador teve um lucro líquido de R$ 7,20. Nada mal, não é mesmo? Embora este páreo tenha sido corrido com 18 animais, todos de muita categoria, nós estamos provando aqui que há parâmetros importantes para se fazer um jogo com muito mais possibilidades de ganho do que qualquer loteria. O segundo colocado, Energia Eros, vindo do Rio de Janeiro, era um bom azar e a dupla exata rendeu o montante de R$ 138,90 para cada Real apostado!!! Vocês vão perguntar se joguei e ganhei. Não, nem um tostão! Sou um caso clássico de amante dos cavalos de corrida mas que não tem o prazer ou o hábito de jogar. Durante muitos anos frequentei semanalmente Cidade Jardim (e também o Hipódromo da Gávea, do Tarumã em Curitiba e o Cristal em Porto Alegre) mas poucas vezes fui ao guichê de apostas. Assim é o turfe, com lugar para todos os gostos.

Foto: Luiz Melão

Advertisements

23-05: Cinema – “Intouchables”, França 2011

intocaveis3As linhas: “ Após um acidente de parapente, Philippe, um rico aristocrata, contrata Driss, um jovem recém-saído da prisão para ser seu cuidador. Em outras palavras, a pessoa menos apropriada para o trabalho. Juntos, irão misturar Vivaldi e a banda Earth, Wind & Fire, dicção elegante e jazz de rua, ternos e calças de moletom. Dois mundos vão colidir e chegar a um acordo para que nasça uma amizade tão louca, cômica e forte quanto inesperada, uma relação única que irá criar faíscas e torná-los intocáveis. ”  (Fonte: Guia da Semana)

As entrelinhas: Colocando em dia minha enorme coleção de “filmes imperdíveis que não assisti” recebi indicação de uma das filhas em “dar uma chance” para “Intocáveis”. Como o filme foi visto por um milhão de pessoas no Brasil, vinte milhões na França e 32.5 milhões na Europa, não me atrevo a fazer nova análise aprofundada. Vou apenas colocar em seguida os adjetivos e frases que fui rabiscando em um caderno à medida que ele se desenrolava, até que uma lágrima furtiva me impediu de escrever a última linha. Recomendo-o fortemente. “Inspirado em história real, trilha musical absolutamente coordenada com o espírito do filme, desconcertante, realista, relação impensável e improvável, dor da perda íntima sobrepondo-se à dor física, mágico, irreverente, a partida e a volta, a boa índole das pessoas superando as adversidades,  a sinfonia dos parapentes, o recomeço inesperado”.

Nota: As duas pessoas em cujas vidas o enredo está baseado publicaram livros, ambos traduzidos em Português. Quem quiser conferir procure por “O segundo suspiro”, de Philippe Pozzo Di Borgo, e “Você mudou a minha vida” de Abdel Sellou.

Foto: Os verdadeiros Phil e Abdel nos dias de hoje, encontrada em commons. wikimedia.

14-05: Salve Jorge, a oportunidade perdida

São JorgeAs linhas:  ” Nesta semana chega ao fim a novela mais bombardeada dos últimos tempos na televisão brasileira. ‘Salve Jorge’ e sua autora, Gloria Perez, que desviou da blindagem oferecida pela TV Globo e deu a cara à tapa nas redes sociais, foram vítimas de um dos mais poderosos e destacados personagens desse folhetim: o público.  O folhetim de Gloria Perez será sim lembrado, só não exatamente se tem a certeza de que será uma lembrança boa. Mas o que o público vai lembrar quando se falar da novela daqui a alguns anos? É possível fazer uma projeção com base no que repercutiu, caindo na mídia e causando discussões. ‘Salve Jorge’ teve erros gritantes de continuidade, que não costumamos ver na Globo com tanta frequência. A novela apresentou em seu roteiro situações complicadas, indigeríveis, que causaram ruídos até no telespectador menos atento.” (Fonte: crítico Breno Cunha, em Na Telinha)

As entrelinhas: Infelizmente Gloria Perez perdeu grande oportunidade de expor em uma maneira mais clara o grande problema que afeta a humanidade desde muitos séculos e que ganhou contornos “modernos” desde a Revolução Industrial. Com o poderoso elenco que a Globo tem em mãos, toda a sua capacidade técnica e particularmente equipes de apoio imbatíveis na produção de novelas, a autora se perdeu em uma história relativamente banal, sem conseguir criar personagens que prendessem o cativo público da eterna “novela das oito”. Do desempenho abaixo da crítica do folhetim  salvaram-se o charme e a personalidade criadas para a Delegada Helô e o curioso Pescoço. Muito pouco para quem poderia ter explorado várias outras facetas deste submundo do tráfico humano, que segundo estatísticas mais confiáveis (ah!, as estatísticas) atingem mais de dois milhões de pessoas ao redor do mundo. Aqui mesmo, sob nossos olhares, sabemos de casos tristes acontecendo nas esquinas e em indústrias semiclandestinas, onde a escravidão ainda é uma dura realidade.

Gravura: Google Imagens

27-04: Turfe – vem aí o GP São Paulo!

GoberAs linhas: Gober levanta o GP Oswaldo Aranha e vai ao GP São Paulo como força – tradicional preparatória para o Grande Prêmio São Paulo e uma das provas mais importantes do calendário paulista, o Grande Prêmio Oswaldo Aranha (gr.II), em sua edição 2013, foi vencido em Cidade Jardim, por Gober, segundo na preferência do público apostador. N. A. Santos conduziu com maestria o pupilo de R. Soares, que mais uma vez o apresentou em estado irretocável. O favorito Golden Gold atropelou de rijo nos metros decisivos mas não conseguiu desalojar Gober que o superou por 1/4 de corpo. Media Man, que deu muita “fila” de vitória, foi o 3º, à 1 corpo, Sandbuck finalizou em 4º (5 1/2) e American Storm deu números finais ao marcador (5 3/4). Derby winner paulista em 2012, Gober é um 3 anos, filho de Yagli e Visa Max (Kenético), de criação e propriedade do Stud Rafa, cuja campanha aponta agora para 4 vitórias em 10 apresentações.” (Fonte: www.jockeysp.com.br, site oficial do Jockey Club de São Paulo)

As entrelinhas: Antes de mais nada este é um convite para nossos leitores reservarem a data de 19 de maio para uma experiência inesquecível: assistir à disputa do GP São Paulo de turfe, a ter lugar no Hipódromo Paulistano (Cidade Jardim – Av. Linneo de Paula Machado). Há uma certa mistificação em torno das corridas de cavalo. Na mente de grande parte das pessoas ir ao Jockey Club é exclusividade das “elites”. Nada mais errôneo. O turfe é um esporte popular (na Argentina o segundo esporte mais assistido) e uma ida ao hipódromo em uma tarde de sábado ou domingo é uma atividade que contempla toda a família. Enquanto os pais ou casais tem diversidade de bares e restaurantes para frequentarem enquanto aguardam os páreos, sempre há atividades ao ar livre para os pequenos. A entrada é livre e o visual maravilhoso. Não só se desfruta de uma linda vista do skyline de São Paulo, como se diverte com o colorido das fardas que vestem os jóqueis e a beleza inigualável dos cavalos Puro Sangue Ingleses. As apostas são opcionais, variadas e baratas e é – seguramente – o tipo de jogo em que se tem a maior chance de ter um retorno ao seu “investimento”. Antes mesmo do GP São Paulo, fica o convite para conhecer o Hipódromo e preparar-se para a grande festa do turfe paulistano.

26-03: Lollapalloza no Jockey – imperdível

As linhas: “ Quando o Foo Fighters soltou os acordes de All My Life para encerrar a primeira noite do festival Lollapalloza, no Jockey Club, no ano passado, o Presidente da Geo Eventos suspirou aliviado…Com novas atrações de apelo, o evento está de volta ao mesmo cenário, entre a Sexta-Feira Santa (29) e o Domingo de Páscoa (31) – ou seja, com três, e não mais dois, dias de duração…Foram escalados roqueiros consagrados, como a banda Pearl Jam, grupos badalados, entre eles o The Black Keys e o Alabama Shakes, e nomes nacionais, como o cantor Criolo . (Veja São Paulo, 27mar2013 – data de capa).

As entrelinhas:  O Jockey Club de São Paulo adaptou a parte central de suas pistas de corrida para se tornar o mais belo cenário para shows a céu aberto da Capital. A sensação de amplitude que o espaço proporciona, aliado à incomparável vista do skyline de São Paulo são imbatíveis. Este ano os presentes devem ter ainda mais conforto com a diminuição de 20% da capacidade de público em cada noite. Ainda há ingressos disponíveis. Só um lembrete – vá de transporte público; a estação Butantã do Metrô está a 600 metros da entrada 6 e haverá 1500 táxis credenciados para atender aos presentes. Bom show!