07-06: Economia – boa notícia!

cesta básicaAs linhas: “ Cesta básica fica 3% mais barata em Belo Horizonte – alimentos básicos caíram em 66% das capitais pesquisadas em maio. Influenciados pela retração no valor dos produtos alimentícios essenciais, os preços dos itens que compõem a cesta básica caíram em maio em 12 (66,6%) das 18 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza, mensalmente, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. Em Belo Horizonte, os preços dos alimentos básicos caíram 3%, atrás somente de Manaus (-4,91%) e Salvador (-3,76%).” (Fonte: Estado de Minas, com Agência Estado)

As entrelinhas: Não queria terminar a semana com um artigo pessimista. Afinal os números anunciados ao longo deste início de junho mostraram dados econômicos preocupantes para o fechamento do mês de maio e o acumulado de 2013. Infelizmente precisei de um dia todo para encontrar as linhas que publico acima. Com o índice Bovespa caindo mais 2,39% e o dólar comercial fechando em alta a 2,133/real, mais as expectativas de aumento da taxa de juros para tentar segurar a inflação, não tive tarefa fácil. Pena que li a notícia toda e lá para a frente noto o seguinte: ‘No acumulado dos primeiros cinco meses de 2013, as 18 capitais pesquisadas registraram expansão nos preços da cesta básica. As altas mais expressivas ocorreram em João Pessoa (20,49%), Aracaju (17,97%) e Natal (17,53%).’ Desculpem-me, caros leitores, mas a coisa não está boa…

Foto encontrada em mtonline.globo.com

Advertisements

27-03: GOL em vôo rasante

As linhas: A empresa aérea Gol teve prejuízo de R$ 1,51 bilhão em 2012, alta de 101,3% em relação ao resultado do ano anterior (quando perdeu R$ 751,5 milhões). O resultado, segundo a empresa, reflete o momento desafiador pelo qual passam as empresas aéreas, principalmente com a alta no preço do combustível. A desvalorização de 17% do real em relação ao dólar, além do baixo crescimento da economia brasileira em 2012, também foram apontados como responsáveis pelo prejuízo da empresa. A Gol também informou que, com o objetivo de elevar a receita por passageiro em pelo menos 10% e retomar as margens operacionais, reduzirá a capacidade doméstica em entre 8% e 10% no primeiro semestre de 2013... (Fonte: Reuters)

As entrelinhas: O drama da Gol repete, com outros matizes, a pintura que já assistimos com o binômio Wagner Canhedo/VASP, aquele ainda mais nebuloso. O fato real é que as empresas aéreas no mundo todo vivem situações parecidas. Tentam de tudo para se manterem em vôo de cruzeiro mas ficam no ar cada vez menos empresas, constituindo conglomerados. Para nós, eventuais passageiros da Gol, já acostumados a voar espremidos, com nossa barrinha de cereais e suco de caixinha, fica a certeza de que o número de vôos vai diminuir e por consequência a oferta de assentos, causando inevitável aumento das tarifas aéreas, que já andam bem nas alturas. Dependendo do destino, um convite para voltarmos aos confortáveis ônibus, com seus espaços generosos para as pernas e as paradas nos restaurantes dos postos para aquela média e pão com manteiga!