03-07: Bovespa – o X da questão

800px-E-tickerAs linhas:O Ibovespa, principal referencial do mercado de ações brasileiro, estaria  hoje na casa dos 53.900 pontos, ou 14% acima do patamar atual, se as três  empresas do grupo de Eike Batista que hoje compõem o índice – OGX, MMX, LLX –  fossem simplesmente expurgadas da carteira teórica. O cálculo foi feito pelo estrategista da Icap Brasil, Gabriel Gersztein, que  analisou o comportamento do Ibovespa desde janeiro de 2012 com e sem as empresas  “X”. O índice atual acumula perda de 18,3%* em 18 meses, aos 47.200 pontos. Sem  as empresas, a baixa no período seria de apenas 7,4%. ‘A metodologia atual do Ibovespa, que leva em conta basicamente o volume  negociado, não é a ideal, porque causa distorções, como das empresas X’, diz  Gersztein.” (Fonte: Valor Econômico)

As entrelinhas: No dia 26 de junho passado coloquei o seguinte comentário pessoal ao artigo de Exame.com intitulado “O que ainda esperar das ações X de Eike Batista na bolsa”: “Em minha opinião, comentando de forma objetiva e sem qualquer referencia ao empresário Eike Batista, penso que a negociação das ações do grupo já deveriam ter sido suspensas pela CVM, faz muito. Seu andamento errático, a sucessão diária de informações referentes a esta ou aquela empresa do conglomerado, que quase nunca se confirmam, causam grande dano à Bolsa em si e a outras empresas que acabam sendo arrastadas pelos sentimentos despertados por estes movimentos. Não há fundamentos para justificar o desempenho diário das várias ações do grupo, o que abre caminho para grandes possibilidades de especulação nefasta.” Estas são minhas entrelinhas de hoje, após grande queda do Ibovespa, não apenas causada pelas empresas X mas também pelo cenário econômico mundial e a publicação de crescimento negativo da indústria brasileira em maio passado (-2%).

* Este artigo do Valor Econômico foi publicado antes da sessão de 2 de julho, quando o Ibovespa caiu mais 4,24%, puxado pelas ações da OGX (queda de 19,64%) – Fonte: Exame.com
Advertisements

01-04: Primeiro de Abril

As linhas: BMW – A BMW afirmou-se orgulhosa em anunciar o lançamento do carrinho de bebê automóvel P.R.A.M. (Postnatal Royal Auto Mobile). Como o nome dá a entender, a edição limitida foi criada para o grávido casal da realeza britânica William e Kate, e está disponível nas cores azul e rosa. (Fonte: Exame.com, por Mirela Portugal)

As entrelinhas:  A criatividade no marketing não tem limites. A publicidade aproveita cada data, cada evento, para fazer as marcas serem reconhecidas. Ultimamente, contrapondo-se ao stress crescente do mundo, noto aumento de ações divertidas e pitorescas. Quem quiser ver outros exemplos, visite o divertido link http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/as-pegadinhas-das-marcas-neste-1o-de-abril .

BMW