22-06: Um chute no traseiro da FIFA (e não só)

fifaAs linhas: “A Globo desistiu de exibir a partida entre Espanha e Taiti, esta tarde (20) no Maracanã, para poder mostrar flashes dos protestos em diferentes cidades do país. A Fifa (Federação Internacional de Futebol) não permite a interrupção da transmissão de uma partida para exibição de outros conteúdos.(UOL) O presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Joseph Blatter, disse esta terça-feira que o futebol é ‘mais forte que a insatisfação das pessoas’, referindo-se às manifestações que ocorrem no Brasil. (O Jogo, de Portugal) Copa das Confederações gera prejuízo em Brasília – a abertura da Copa no dia 15 rendeu R$ 22 milhões, mas os custos do evento foram quase o dobro disso. Apesar do alto rendimento, o evento não foi o suficiente para recuperar o investimento gasto na festa, que custou quase R$ 41 milhões para o Distrito Federal. Também segundo dados do governo, o maior gasto foi com estruturas provisórias para o recém inaugurado estádio Mané Garrincha, que já havia custado mais de um bilhão de reais para os cofres públicos.(Exame.com) Os protestos que tomam conta das ruas nos últimos dias, atingindo inclusive o entorno e o interior dos estádios, deixaram integrantes da Fifa e de seleções apavorados com o andamento da Copa das Confederações no Brasil. A competição virou um pesadelo para a entidade. Não que a Fifa esperasse um evento perfeito, mas a proporção dos problemas é maior do que o pior cenário imaginado. (Folha)

As entrelinhas: Desde o dia 30 de outubro de 2007, quando a FIFA ratificou o Brasil como país-sede da Copa do Mundo de 2014, a entidade que comanda os destinos do futebol mundial passou a ser tida em nosso país como uma grande vilã. As imposições, incontáveis, foram se sucedendo e ao longo deste período, entre inúmeros “tapas e beijos”, nossas autoridades acabaram tendo que aceitar tudo que foi imposto e que agora se vê como exagerado é, no teste que ocorre na Copa das Confederações. Mas há um porém que as pessoas se esquecem: o tal de “caderno de encargos” assinado pelos países que se propõe a sediar eventos deste porte e que devem ser cumpridos. Aí está uma boa desculpa para o Presidente Blatter e seu acólito Jérôme Valcke, o duro gestor francês, autor da célebre recomendação “vocês precisam se pressionar, levar um chute no traseiro e fazer a Copa do Mundo.” Os nossos signatários, em época de grande euforia pelo crescimento econômico que o país passava, devem ter pensado que no final, ia se dar um jeitinho brasileiro e tudo iria acabar bem. Mas não tem sido bem assim, em que pesem as sucessivas denúncias de corrupção que atingem boa parte da cúpula da entidade, e colocam em dúvida a justiça das eleições de sedes das Copas de 2018 (Rússia) e 2022 (na potência futebolística de Qatar – onde?). O fato é que cedemos e continuamos a ceder a algumas exigências que beiram o ridículo e que acabaram fazendo da FIFA o alvo de grande parte das manifestações de rua. Se podemos construir estádios bilionários, atendendo a altos padrões de exigência, para um futuro de ociosidade e prejuízo, por que não se constroem escolas, hospitais e estradas? Os estádios pasteurizados estão lindos e maravilhosos – mas a mobilidade urbana, o grande ganho para as cidades-sede? Na verdade, talvez a FIFA tenha razão: muitos de nossos governantes precisam de um bom chute no traseiro. A FIFA e eles sabem bem, hoje, o que isto significa.

17-05: O agronegócio sustenta o Brasil

Soja_exportacaoAs linhas: As exportações brasileiras do agronegócio, nos últimos doze meses, atingiram resultado recorde somando US$ 99,59 bilhões, o que representou crescimento de 4,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. As importações reduziram 6,5% no ano e somaram US$ 16,52 bilhões no período, resultando em um saldo positivo recorde de US$ 83,07 bilhões. As informações são da Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SRI/Mapa). ‘Nossa produção nos campos, seja devido às pesquisas ou ao alinhamento entre governo e iniciativa privada, há tempos se tornou exemplo de competitividade e eficiência. Quando o assunto é exportação, há anos a balança comercial agropecuária sustenta o saldo positivo do Brasil’, afirmou o ministro da Agricultura, Antônio Andrade. (Fonte: Canal Executivo)

As entrelinhas: Os portugueses tem uma frase histórica e perfeita para esta notícia: “Tudo como dantes no quartel d’Abrantes”. Isto quer dizer que nada mudou. E faz anos que nada muda no quesito da balança comercial brasileira, com o agronegócio sustentando repetidamente nossos superávits. Também nada se altera com o Governo querendo tirar sua “casquinha” deste dado permanente. Talvez por não ser muito do ramo (é engenheiro e pecuarista, o que não quer dizer nada – estava na Comissão de Finanças da Câmara e entrou no Ministério pela “quota” do PMDB), o ministro exagerou um bocado no papel oficial na obtenção do resultado: “alinhamento entre Governo e iniciativa privada”… Todo mundo sabe que riscos, Custo Brasil e trabalho duro ficam a crédito dos produtores (e o Governo? Ah!, o Governo…).

Nota: Reprodução de texto publicado pelo autor no blog BioAgroEnergia do portal Exame.com.

29-03: Receita de bacalhau para a Sexta-Feira Santa

As linhas: ” Como fazer bacalhau com broa à moda do Minho –

1. Retire a pele e espinhas às postas de bacalhau e esfregue-as com 2 dentes de alho. Coloque-as numa assadeira de barro, regue-as com 2 dl de azeite e leve ao forno já aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos para assarem.

2. Entretanto, esfarele a broa e espalhe por cima 1 dente de alho picado. Polvilhe com q.b. pimenta e regue com o resto do azeite. Mexa para envolver todos os ingredientes (q.b. é a maneira que os portuguêses usam para “quanto baste”, que nós diríamos “a gosto”).

3. Retire a assadeira do forno e cubra as postas de bacalhau com o preparado de broa. Leve novamente ao forno até a broa ficar dourada. Sirva sobre talos tenros de couve cozidos, acompanhado com batatas cozidas, tudo regado com o azeite do assado.  (Fonte: www.1001receitas.com/pt)

As entrelinhas: Neste dia dedicado pelos Cristãos ao recolhimento e meditação, nada como manter a tradição, servindo à família uma diferente forma de preparo de bacalhau. Em Portugal diz-se que há 365 maneiras diferentes de preparar bacalhau, uma para cada dia do ano! Fomos buscar uma receita tipicamente portuguesa, da linda região do Minho, que exige poucos ingredientes: 4 postas de bacalhau demolhado, 3 dl azeite, 3 dentes alho, 300 g de broa e pimenta. Bom apetite e respeitoso descanso.

28-03: Entendendo o confisco no Chipre

As linhas: Europa resgata Chipre e impõe confisco e reestruturação bancária – Esta medida terá por efeito reduzir consideravelmente o tamanho do setor bancário cipriota, apontado como superdimensionado em relação à economia da ilha, já que representa oito vezes seu Produto Interno Bruto! O Chipre conseguiu um resgate da Eurozona, mas o acordo exige uma reestruturação de seu hipertrofiado setor bancário e confiscos dos depósitos mais volumosos, em muitos casos de correntistas russos, e abre uma era de incertezas sobre seu futuro econômico. ‘Finalmente, o Chipre sai de um período de incerteza e de insegurança para a economia. Foi evitada uma suspensão de pagamentos, o que teria significado deixar a zona do euro, com consequências devastadoras’, afirmou o porta-voz do governo cipriota, Christos Stylianidis.(Agence France-Presse)

As entrelinhas: Os bancos do Chipre reabrirão nesta quinta-feira (28mar), depois da adoção das medidas mencionadas nas linhas, entre elas a limitação de saque de 300 euros por dia por correntista bancário. Os bancos estão fechados desde 16 de março. Pagamentos e transferências para o exterior não poderão superar o limite de 5.000 euros por mês e quem for viajar, poderá embarcar com apenas 1.000 euros. Algo parecido com o  nosso Plano Collor, de tão nefasta lembrança. Para entendermos o motivo de preocupação generalizada destas medidas em uma ilha tão pequena, é preciso pensar que todos os Países da zona do Euro, em particular aqueles com a situação econômica mais complicada (Grécia, Irlanda, Portugal, Espanha e Itália) ficam a temer que o mesmo tipo de providência possa ser adotado em outros Países. Por este motivo é importante, para o acompanhamento da economia européia (e seus reflexos globais) que se observe os desdobramentos destas medidas.

23-03: Uma nova família Scolari?

As linhas: ” O treinador Luiz Felipe Scolari após o empate do Brasil contra a Itália por 2 a 2 confirmou o que já parecia evidente durante a passagem da seleção por Genebra (Suíça): Neymar está sendo blindado. O jogador não participou de nenhuma das entrevistas organizadas pela assessoria de imprensa da CBF durante a preparação para o amistoso. Felipão afirmou ainda que disse a Neymar que ele será tirado de debaixo dos holofotes sempre que servir à seleção. ‘Coloquei a ele que na seleção ele será muito menos exposto que no Santos. O Neymar será mais resguardado que no clube, onde ele precisa cumprir uma série de compromissos. O Neymar é centrado, equilibrado’, ponderou o treinador.” (Fonte: portal UOL, mostrando o lado “Paizão” de Felipão, que marcou particularmente suas passagens pelas seleções que dirigiu).

As entrelinhas: Quando o assunto é futebol, antes de emitir qualquer opinião gosto de passar os olhos pelos principais blogs do assunto para ler as mensagens dos internautas. Aí sinto o pulso do que pensa nosso povo. Algo que me chama a atenção, faz um bom tempo, é a falta de empatia entre a “canarinha” e o torcedor brasileiro. Talvez porque a maioria dos jogadores esteja há anos fora do País, talvez porque sua remuneração e modo de vida sejam desproporcionais ao que produzem em campo. O fato é que este grupo precisa melhorar muito para conseguir algo na Copa das Confederações e particularmente na Copa do Mundo de 2014. Difícil dizer se Scolari vai conseguir formar outra família, como fez com o Brasil do pentacampeonato e com a Seleção de Portugal. Mas uma coisa é certa: um afilhado já é membro desta eventual família, o poderoso Hulk…..