04-07: Outro voo da alegria (às nossas custas)

alvesAs linhas: “ O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), usou um avião da Força Aérea Brasileira para levar a noiva, parentes dela, enteados e um filho ao jogo da seleção no Maracanã no domingo. Um jato C-99 da FAB foi buscar a turma em Natal, terra do deputado. Decolou às 19h30 de sexta-feira rumo ao Rio de Janeiro e retornou no domingo, às 23h, após o jogo. Ao pedir o avião, Alves informou que 14 passageiros poderiam viajar. Pegaram carona com o deputado sete pessoas: sua noiva, Laurita Arruda, dois filhos e um irmão dela, o publicitário Arturo Arruda, com a mulher Larissa, além de um filho do presidente da Câmara. Um amigo de Arturo entrou no voo de volta. Todos aproveitaram para passear no Rio no sábado e, no dia seguinte, foram à final da Copa das Confederações, vencida pelo Brasil. (Fonte: Folha de São Paulo)

As entrelinhas: Uma notícia destas vale mais do que todos os discursos de políticos brasilienses, e não só, proferidos após os fortes movimentos populares recentes. Desta maneira é que ele estão ouvindo as ruas!!! Estamos falando do Presidente da Câmara dos Deputados, a segunda pessoa na linha sucessória da Presidência da República, após apenas o Vice-Presidente. Estamos falando de um político que está instalado em Brasília pelo décimo primeiro mandato consecutivo como Deputado Federal. Tempo suficiente para não ter que vir com a resposta que deu quando pego em “flagrante delito”, dizendo que foi um equívoco ter levado os convidados em uma viagem oficial (ele almoçou com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, no sábado!). Diz que vai devolver aos cofres públicos R$ 9,7 mil, valor calculado pela assessoria do deputado tendo como base o preço médio de passagens de ida e volta entre Natal e o Rio de Janeiro. Um voo fretado como este custaria no mínimo R$ 158 mil, segundo a Folha. Este é o retrato do meu Brasil, do seu Brasil, do nosso Brasiiiilllll!

p.s. a rede Globo não deu grande divulgação ao fato. Talvez seja pelo motivo, segundo a Wikipédia, de que o Presidente da Câmara, além de político é empresário e um dos proprietários do Sistema Cabugi de Comunicação, do qual fazem parte a TV Cabugi, afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Norte, a  Rádio Globo Natal, a Rádio Difusora de Mossoró e o jornal Tribuna do Norte, do qual é presidente.

Foto: homenagem ao nobre Presidente da Câmara dos Deputados, para que nossos leitores saibam sobre quem estamos escrevendo. Encontrada em UOL, Congresso em Foco.

Advertisements

19-06: Manifestações – explicando ao Ministro

raul-seixasAs linhas: “Não conseguimos entender o que está ocorrendo ainda. São novas formas de organização de mobilização que ainda não compreendemos”. (palavras do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, expressando a estranheza do Governo Federal com as seguidas manifestações de rua que ocorrem em todo o Brasil).

As entrelinhas: Excelentíssimo Senhor Ministro, tenho certeza que V.Exa. cometeu um ato falho. Logo em seguida a sua chefe, a Presidenta Dilma Rousseff, leu com todas as letras um discurso em que lhe explica o motivo pelo qual o povo está tão bravo. Eu vou colaborar com a digna Presidenta e repetir para V.Exa. uma carta que recebi hoje de meu plano particular de saúde: ” Comunicamos que o seu plano de assistência à saúde, coletivo por adesão, mantido pela Qualicorp com a Sul América Seguro Saúde S.A. sofrerá reajuste de 14,13% (Quatorze inteiros e treze centésimos por cento) sobre todos os preços, planos e faixas etárias, a partir de julho de 2013. A aplicação do reajuste anual respeita todas as regras e a periodicidade estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para os planos coletivos por adesão.” (negritos da carta)

Exmo. Ministro, quer que desenhe? Li em algum lugar que a inflação oficial do período foi de 6,5%, exatamente, com absoluta precisão, no tal “teto da meta”. Isto é apenas um, unzinho motivo pelo qual todo brasileiro que raciocina minimamente está cansado de fazer papel de idiota. Se tiver interesse, posso lhe dar mais n razões para esclarece-lo melhor. Enquanto isto vou usar um trecho do fabuloso Raul Seixas, que demonstra a antiguidade dos problemas, que se fizeram agravar exponencialmente nos últimos tempos:

“Pare o mundo que eu quero descer, por que eu não aguento mais noticias de corrupção, violência que não param de aumentar. E pensar que a poluição contaminou até as lágrimas e eu não consigo mais chorar. E ainda por cima: ter que pagar pra nascer, ter que pagar pra viver, ter que pagar pra morrer.Tá tudo errado, tá tudo errado. Desorientado, cego vivo enquanto eu vou ficando aqui parado. Tá tudo errado, tá tudo errado.”

Foto de Raul Seixas encontrada em rollingstones.uol.com.br

17-06: Vista sua janela de branco

janelaAs linhas: Vista sua janela de branco! Se puder, saia às ruas. Se não puder vem pra janela – vamos mostrar que este movimento que está tomando conta do Brasil é espontâneo, e vem de um país cansado de tolerar a ineficácia do poder público. Publique sua foto com a hashtag #VemPraJanela. (Fonte: Convocação circulando pelas redes sociais, com alto grau de adesão – ato marcado em SP para 17 de junho, segunda-feira)

As entrelinhas: Quando os movimentos de rua começaram, em São Paulo, Rio de Janeiro e em seguida espalhando por Curitiba, BH e Porto Alegre já ficou a sensação de que não estávamos falando de um protesto contra os R$ 0,20 de aumento no preço das tarifas de ônibus do SP e Rio. A CNN escreveu (tradução livre) o que Linhas & Entrelinhas gostaria de dizer. Desculpem, é longo, fugindo ao nosso padrão, mas vale a pena ler:

“Os protestos que estão acontecendo no Brasil vão muito além do aumento de 0,20 no transporte público. O Brasil está atualmente experimentando um colapso generalizado na sua infraestrutura. Existem problemas nos portos, aeroportos, transporte publico, saúde e educação. O Brasil não é um país pobre e os impostos são extremamente altos. Os brasileiros não veem razão para ter uma infraestrutura tão ruim enquanto existe tantos impostos sendo pagos. Nas capitais dos estados as pessoas gastam até quatro horas por dia no transito, ou em seus carros ou no transporte publico lotado e de péssima qualidade.
O governo brasileiro tomou medidas paliativas para controlar a inflação, cortando impostos, e ainda não percebeu que é preciso mudar o paradigma focando na infraestrutura. Ao mesmo tempo o governo brasileiro está reproduzindo em uma escala menor o que a Argentina fez alguns anos atrás: evitando a austeridade e combatendo o aumento da taxa de juros SELIC, o que está levando ao aumento da inflação e ao pequeno crescimento.
Além do problema da infraestrutura, existem vários escândalos de corrupção que continuam sem julgamento, e os casos sendo julgados tendem a acabar com a liberação dos acusados. O maior caso de corrupção da história brasileira finalmente acabou com os acusados sendo condenados e agora o governo está tentando reverter o julgamento manobrando emendas constitucionais inacreditáveis: uma delas é a PEC 37, que visa aniquilar os poderes de investigação da promotoria publica, delegando a responsabilidade pelas investigações exclusivamente à Policia Federal. Mais ainda, outra proposta visa submeter as decisões da Suprema Corte ao Congresso – numa violação sem precedentes dos três poderes.  Estas são, de fato, as revoltas dos brasileiros.  Estes protestos não são meramente isolados, movimentos da extrema esquerda ou da extrema direita como alguns órgãos de imprensa afirmam. Não é um rebelião de jovens. É a manifestação da parte mais intelectualizada da sociedade que quer colocar um ponto final nestes assuntos. A classe média nacional, que sempre esteve insatisfeita com o esquecimento político, agora “acordou” – nas palavras daqueles que protestam.”

21-03: Choque de Poderes

As linhas: “A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia concedeu uma  liminar na noite desta segunda-feira que suspende os efeitos da nova lei dos  royalties do petróleo, que alterou os critérios de distribuição entre os  Estados. A liminar atendeu um pedido do governo do Rio de Janeiro, que entrou no  STF com uma ação direta de inconstitucionalidade contra a nova lei. A norma foi publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira, 15. No mesmo  dia, os governos do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo, principais  Estados produtores, recorreram ao STF contra as mudanças, como haviam anunciado  que fariam caso o Congresso derrubasse os vetos da presidente Dilma Rousseff.” (Fonte: Valor, anunciando decisão provisória sobre a polêmica discussão a respeito da distribuição dos royalties do petróleo)

As entrelinhas: Não vamos nos concentrar no debate sobre o tema da divisão dos royalties em si. Pessoalmente tenho opinião consolidada sobre isto: o sistema que está sendo aplicado para os campos de petróleo em produção fica como está, direito adquirido! Os royalties sobre novos campos, incluindo os do pré-sal entram em um sistema de partilha mais amplo. O que pretendo trazer à discussão é este salutar, porém delicado, exercício de  distribuição de forças entre os três Poderes da República. Há pouco tivemos o embate sobre a faculdade do Supremo em decidir pela cassação dos mandatos dos Deputados condenados no processo do “mensalão”. Agora este novo e importante assunto que impacta a economia do País todo é razão para decisões conflitantes entre Executivo, Legislativo e Judiciário. A acompanhar…